Da origem do mal

26 comentários
pilares da criação Meu amigo, antes de começar a dizer o que quero, quero que você pense em uma coisa: é que todo conceito vincula outro. Se eu digo que sou homem, afirmo de modo peremptório que não sou mulher e você imagina que eu tenho características físicas e psicológicas de homem, e eu tenho, porque assim sou. Você pensa também que eu gosto de mulher, que é o normal e isso acontece comigo, sou fascinado por tudo aquilo que é belo e perfeito, e a mulher é assim. E o que tem a ver uma coisa com a outra? Sim, eu sei que você viu o título e está esperando algo sobre o demônio e tal, mas não tem nada a ver com ele. O demônio nada criou.

Deus criou tudo que existe. Tudo que existe, existe. O que não existe, não existe. Óbvio, não é? Nem tanto. Nessa parte é que vem a minha limitação, aí eu pergunto a você, caro amigo, o que me pergunto: “Se algo não existe eu posso fazer aquele algo?” É mais ou menos assim… O nada existe? Não. Já existiu? Já. - Até porque Deus criou tudo do nada (2 Mc 7, 28). Entretanto, deixou de existir e não existe mais. O nada, pois, existe só em hipótese. Êpa. Então pode-se dizer que o nada só não existe in concreto, mas existe uma ideia do nada. - Deus criou o nada? Deus criou todas as coisas existentes e o nada não existe, então Ele não o criou. Então, pensando assim, não existe uma vinculação da ideia à existência do objeto, isto é, eu dizer uma coisa não quer dizer que ela exista, é um simples símbolo que remete à ideia. E o que danado isso tem a ver com o mal ou a origem dele? Tudo!

Deus criou o mal? O mal existe? Vamos lá. A palavra "mal" existe, é um símbolo que nos remete àquilo que não é bem, que não é Deus, enfim. – Prepare a sua imaginação porque vamos usa-la. - (Pausa na continuidade do texto), Imagine-se um escultor talentosíssimo fazendo aquilo que melhor sabe fazer, qual seja, uma escultura de argila. Crie aquilo que você acha mais belo. Criou. Pergunto a você: pode existir a deformação daquilo que você criou? Você, como escultor de exímio talento, pode criar algo deformado, sem talento? Você consegue ser incoerente consigo mesmo? E Deus, consegue? - Deus, como amor, pode criar o desamor? Deus, como bondade, pode criar a maldade? Não, não é? É tudo uma questão de símbolo, de ideia e sua concretização. Toda ideia suporta o seu oposto, todo conceito possui seu contrário. Tudo em ideia, em hipótese.

Deus não criou o mal, isto é óbvio, mas permitiu, como permite em tudo, que o conceito que existe possua a sua negação. Deus criou, sim, a liberdade, e para esta é necessário haver possibilidade de escolha. Quando  da era do Paraíso, não existia a árvore do conhecimento, da qual o homem não podia comer? Pois é, se ela não existisse, teria o homem alguma escolha? Existiria alguma possibilidade do pecado para o homem? Não existiria liberdade! E o pecado não seria propriamente comer da árvore, mas desobedecer à ordem dada por Deus. Pois Deus, com grande desgosto, pensou: “Isso aqui não sou eu, vou dar a isto o nome de mal.” (Não sei em que língua pensou) E teve de criar mais um caminho. – use mais uma vez a sua imaginação – Deus não criou o mal, mas teve de criar um caminho pra ele (imagine que você está numa estrada e tem dois caminhos a seguir, em um tem uma plaquinha com o nome “BEM” inscrito, já no outro o nome “MAL”. Deus criou o caminho e a plaquinha com o nome. Nesta hora, você deve pensar em todos aqueles momentos em que você cogitou que Deus feria a sua liberdade, veja que era mentira da sua cabeça, porque, desde o início, antes mesmo de cria-lo, Deus pensou em sua liberdade.

Agora, e o inferno? O inferno não seria a “casinha” do mal? Bem, se você considera o lixo uma casa, tudo bem? Quer morar no lixo? Pode ser opção sua, minha não é. Mas, o que importa, é que o inferno é o banimento da criação de Deus. Só em pensar que falar sobre o inferno e a origem dele é muito mais complicado do que falar sobre o mal e sua origem, fico “tentado” a terminar o texto. Agora, nesse parágrafo, já disse algo que considero ser importante sobre o inferno. É o seguinte: se o inferno é o banimento da Criação, quer dizer que existe uma incompatibilidade com esta. Incompatibilidade nos recorda algo que não pertence, pois é isso mesmo que você deve pensar. Para pertencer ao mundo de Deus, você deve ser compatível com Ele, possuir as mesmas características que Ele e o resto do Seu Reino que é de unidade e coerência. Quem não quiser, fez sua escolha. Se Deus é, as coisas assim são. Se Deus é porque é, as coisas assim são porque são.

Comentários
26 Comentários

26 comentários :

  1. Fascinante...
    No fim deveria ter: Continua...
    rsrs

    Mylena Munike

    ResponderExcluir
  2. Ola,
    Bem, sobre oq ue vc falou sobre situação no meu blog... Vc poderia explicar melhor, é que gosto de coisas detalhadas para não cometer um erro besta...^^
    Obrigada pela visita..

    ResponderExcluir
  3. Adoreeii!
    Eu não kero viver na casinha do lixo...rsrsrs
    Por isso busco todos os dias ser merecedora de morar no lugar que Deus reservou para os seus.

    Posso te seguir??

    BeijO*-*
    http://evesimplesassim.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. desde o inicio o homem ja é mal.Nao ha um bom,nenhum sequer

    ResponderExcluir
  5. Ahhhh.... que bom!! =D
    Vou colocar na lista dos prediletos, assim estarei aki a cada atualização tá?? Me segue tb!
    Aguardo visitas suas tb!
    BeijO*-*
    http://www.evesimplesassim.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  6. O homem é o mal...
    Bem, gostei do texto!
    Você é filosofo?

    ResponderExcluir
  7. Complexo pra caramba o texto! haha
    E bem interessante tb!
    Acho q vou reler pra ter certeza do q entendi, pois pairou uma dúvida no ar... Se Deus não criou o mal, pq ele existe?

    bjo.

    www.brincandodefazerpiada.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. belo post cara, deixa realmente uma dúvida sobre a existência do mal! muito bom, continue assim

    http://portalm5.blogspot.com

    ResponderExcluir
  9. Muito bom, fascinante (:


    Parabens continue assim, To seguindo teu blog...
    OLHA la o meu ;; http://ourheartnerd.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  10. Ótimo Blog, seus textos expressas suas idéias de forma compreensiva de um assunto tão complexo...os signos constituem nossa linguagem e você leva isso ao transcendental. Parabéns, vou lhe seguir a partir de agora.

    Visite meu blog também, alguns poemas que estão lá abordam a mesma temática de seus textos.

    http://poemasdomeumicro.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  11. Texto interessante.... Parabens pelo blog!

    ResponderExcluir
  12. Respeito todas as verdades, pois não há uma verdade absoluta.
    Acredito em Deus como uma força positiva responsável pelas coisas boas do mundo. Acredito que Deus esta em nós e que fica mais forte a cada gesto ou pensamento bom que temos. O mal é tudo o que Deus não é. É um contraste que dá equilibrio à nossa existência. Sem o mal não haveria o o conceito de bem não existiria, pois não haveria nada para contrastar.
    Eu acho que a vida é uma dádiva, uma provação e que o Paraíso é um lugar onde descansamos e o bem predomina. Acredito que não é nada parecido com o que temos aqui. A vida é um teste, onde definimos se somos positivos ou negativos. Os positivos, homens de bem, se juntarão à Deus e O fortalecerão.
    Enfim, vejo Deus como uma força positiva que rege o Universo, mas não interfere nas nossas ações e escolhas, e o mal como algo necessário para testar a nossa Fé e nosso espírito.

    Abraço

    ResponderExcluir
  13. Com todo respeito,mas você já ouviu falar de "opinião". A minha é essa, aceito argumentos, mas não ensinamentos. Eu creio no que sinto, não tente me impor uma verdade.
    Esse é o problema dos religiosos, tentam impor verdades contadas por outros homens. Por isso é cada vez maior o número de ateus.
    Eu acredito em Deus na minha maneira, respeite isso e responda aqui, não no meu blog que eu acompanho.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  14. O espaço aqui é democrático. E a resposta, se pudesse, seria com olhos nos olhos.

    ResponderExcluir
  15. muito bom o blog e o texto. apenas sintetize melhor o mesmo pois muito grande arrebenta ler no monitor... de resto está perfeito o seu blog

    visite o nosso e veja o nosso novo vídeo

    http://mikaelmoraes.blogspot.com

    ResponderExcluir
  16. Nossa, assunto para ler com muita calma, pq é bem complexo... vou salvar seu blog aqui pq é interessante entender melhor!

    http://apenas-daniel.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  17. ei CARA, tem uma reclamação de calote contra vc na minha comunidade. Espero que verifique!
    aguardamos a resposta!

    ResponderExcluir
  18. Menino... como eu amo suas palavras!
    tinha tempo que nao passava por aqui. E quando venho, me deparo com esse texto que me faz mais que refletir!
    PARABÉNS! Deus age nas suas palavras!

    Visite meu blog!

    Beijinhos!
    Fique na paz do Senhor!

    ResponderExcluir
  19. Que texto excelente , complexo que estimula a reflexão. Parabéns!
    só um ponto gerou controvérsia: Se Deus criou o caminho para o mal, automaticamente criou o mal, porque só se cria caminhos para aquilo que existe ou possa vir a existir.
    Namastê!
    Que Deus lhe abençoe e proteja!

    ResponderExcluir
  20. VERITATIS...Meu caro essa é a maior heresia que eu já ouvi...ora, não posso discorrer aqui, mas quero que saiba que o que vc falou não tem fundamento nem bíblico nem teológico. O MAL não existe (Santo Agostinho), e como Deus é perfeito ele não pensa em duas vias antes de criar, ele apenas cria pois tudo o que Deus fez é muito bom (Geneses), logo a via dulpa entre mal e bem não foi pensada por Deus, ora, se tudo o que Deus faz é bom, e se o mal existe, Deus é poderoso para tirar um bem do mal, então o mal não existe por si só pois dele se tira o bem, logo Deus não pensou no mal, pois o mal não existe, ele é a ausencia de Deus, e o livre arbítrio em não optar por Deus é um grande bem e não um mal, logo, Deus não tirou do nada algo que que já existia pois se existisse ele não havia criado e como Deus criou tudo bom em si mesmo, o mal não foi planejado devido não se planejar algo que já existe, então, o mal não por não ter sido planejado, pois tudo que existe é bom e Deus viu que tudo o que criara é bom...enfim, o mal não existe e Deus não criou o mal, ele é a ausencia de Deus e como Deus é eterno o mal pode existir pois ele é a negação do que existe e é eterno: Deus...fim

    ResponderExcluir
  21. Não sou dono da verdade, estou aprendendo e este aqui é um espaço para discussão.

    Já li Santo Agostinho e concordo com ele. O mal não existe, assim eu afirmei no texto. O que eu quis dizer é que Deus deu liberdade, e a liberdade também é muito boa, assim como tudo que ele fez!

    ResponderExcluir
  22. VERITATITIS...Meu caro, vc viu o que disse o comentário de Céu anteriormente ao meu?? dá uma olhada e vc vai ter uma idéia do que seus pensamentos estão dando a entender ainda que sem querer...perceba que vc está pressupondo que Deus planejou o mal para poder o homem e os anjos optarem, e isso não aconteceu, se fosse assim Deus havia criado os seres que iriam se perder por saber que eles iriam optar por um caminho que não era o de Deus, e isso não foi o que aconteceu, ora, se assim fosse necessário Deus já criaria os seres maus por si mesmos...Quando Deus criou tudo do nada na sua mente não veio a idéia de mal, pois Deus é luz e nele não há treva alguma (I João), a livre opção dos Anjos maus por irem contra Deus e dos homens em seguirem a si mesmos o mal moral veio da sua semelhança com o próprio Deus que é livre, então o fato de eles optarem pelo mau não veio de algo planejado e sim de serem livres como Deus, então como Deus é perfeito os seres livres poderiam optar pelo mal, mesmo sabendo que isso não estava nos planos de Deus, logo o mal não estava nos planos de Deus, assim como Deus existe e é eterno, a livre opção por não está com Deus existe e é terna...Logo, o mal é apenas uma escolha e não um estado, ele acarreta sofrimento devido não ser amor que somente Deus o É...concluindo: O que faz com que exista o mal nos demônios e que seu pecado não possa ser perdoado não é a ausencia da infinita misericórdia de Deus que tudo perdoa, e sim o o caráter irrevogável de sua decisão de opor-se eternamente contra Deus que é bem e amor infinito (Catecismo da Igreja Católica). então o mal é um estado e não um caminho a seguir...o assunto é complexo...

    ResponderExcluir
  23. Obrigado, irmão. Concordo com você. A idéia central do texto, que concorda com o título é o que você afirmou, a origem do mal é a liberdade, porque ninguém o criou. Mas, o assunto é realmente complexo, só me atrevi a escrever sobre isto porque o texto foi resultado de oração. A questão chave do texto foi a inspiração que me veio da árvore do conhecimento, porquanto intui que Deus a colocou lá para que houvesse escolha.

    Eu procurão no catecismo falando sobre o assunto, mas não encontrei. Daí pensei que por não ser dogma, poderia ser livre para pensar sobre o assunto.

    Vou confessar que o que me deixou muito confuso foi aquela passagem: Isaías 45, 7. Entretanto, li o Frei Elias Vella e este afirmava que naquele tempo se pensava desse modo, mas que esse pensamento iria mudando até que estava bastante diferente no livro de Eclesiástico (salvo se minha memória falha).

    Confesso mais ainda que sou extremamente cético, ainda acredito que o mal além de ser um estado, pressupõe uma idéia, em virtude de acreditar que não se pode optar por aquilo que não existe em idéia. E a idéia existia, até porque o mal é a ausência de Deus. Então, a opção pelo mal era a opção por não-Deus, que Satanás fez. Não acha que essa opção de não-Deus não existia? Se eu disser que Deus deixou suas criaturas livres para escolher ou não por Ele é dizer que Deus criou o mal? Não, até porque Deus não criou, é uma escolha, uma opção. Fim.

    Grande abraço.
    Deus o abençoe!

    Peço, por favor, que continue fazendo o controle de qualidade dos meus textos.

    ResponderExcluir
  24. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir