A mentira da(s) mentira(s)

15 comentários

Relativizar o relativismo. Mentir a mentira. O pressuposto do mundo moderno é o de que a verdade não existe, só assim todos conseguem se aceitar sem entrarem em conflito. Ora, sicrano diz a verdade e fulano também, portanto, respeitam-se nas suas verdades. Essa paz exterior se justifica? Esse utilitarismo também é relativista. Vivemos, na verdade, o mundo dos sofistas. Aqueles vencidos por Sócrates, Platão, Aristóteles e Cia, hoje, são os vencedores. Parece que eles têm razão. Mas, parecer é pressuposto de verdade?
Vamos ver se os argumentos se sustentam quando confrontados com eles mesmos. Não vamos atrás de outras refutações mais óbvias, vamos ficar simplesmente na lógica da coisa. “Tudo é relativo!” – Se tudo é relativo, essa afirmação de que tudo é relativo, é relativa? Se tudo for relativo, a própria expressão que afirma que tudo é relativo tem sua ressalva, então, por ela mesma, existe algo de absoluto. Mas, se existe algo absoluto, nem tudo é relativo. Portanto, a própria afirmação não se sustenta. É impossível que tudo seja relativo, porquanto a relativização do relativo acarreta no absoluto.
“A verdade não existe!” – Será isso verdade? Se a verdade não existe, e essa afirmação for verdadeira, então a verdade existe! A verdade é que a verdade não existe! Outro argumento que não se sustenta. Obviamente, a verdade é algo mais do que necessário. Se for verdade que a verdade não existir, chegamos ao ponto de duvidar da própria existência e ter a necessidade de lembrar que penso, para que possa existir. Ora, isso é loucura! Diria eu: “penso, sinto, imagino, cheiro, ouço, vejo, falo, comunico-me, abraço, amo, por isso, é claro que eu existo”! É o tolo que, levado pelo relativismo, e é a consequência imediata desse conceito, questiona a própria existência. Lá vai o débil pensar: “Será que eu existo, será que o mundo é uma mentira? Minha mãe existe? De onde eu vim? Para onde eu vou?” – E a baba descendo de sua boca.  Ainda ,em contraposição, confirmando a afirmação de que a verdade não existe e dizendo que esse argumento não é verdade, chegamos à conclusão de que a verdade existe.
Não existe uma só verdade, na verdade, elas são muitas. Bem, esse argumento não é demente, mas completamente esquizofrênico! Vamos para suas consequências: Bem, eu sou cristão e acredito que Jesus morreu na cruz por mim para que fosse salvo dos meus pecados dos quais eu mesmo não posso, por mim mesmo, nem me livrar, nem me salvar. José acredita no espiritismo, no qual, Jesus é um ser de luz, incrivelmente evoluído, e que todos vão se reencarnar. João acredita no budismo, que nem fala muito de Jesus, já que Sidarta Gautama parece mais com São Francisco. Joaquim é judeu, e crê que Jesus é só um profeta, e que, na verdade, ele ainda vai vir. Entre outros, enfim. Afinal, quem é Jesus? Se tudo isso for verdade, Jesus é uma pessoa bem complexa: é um espírito de luz, um simples profeta, ninguém, e Deus ao mesmo tempo. Pior que isso, se considerar tudo isso como relativo, eu vou para o Céu, assim espero, José vai reencarnar, Joaquim vai para a mansão dos mortos, e João, não sei para onde vai. Bem, se isso é verdade, tudo vai acontecer ao mesmo tempo. Vivemos em universos paralelos e, não se sabe como, eles se conectam. Pior, se considerarmos todas sendo verdadeiras, no final das contas, nenhuma é, e voltamos para o absurdo anterior.
Alguém pode se perguntar: “Como argumentos tão fracos podem ser tão fortes?”. – Simples, eles são convenientes. Imagine a verdade existindo no Direito, muitos advogados vão perder a profissão, por não terem mais o que fazer. Imagine a verdade existindo na política: ninguém vai querer ser político, porque esse não vai ter vida e vai viver preocupado com todos. Imagine a verdade nas religiões: muitas vão ter que acabar. A humanidade, em geral, não dá nenhuma importância à verdade, sim ao bem-estar, a si mesmo. A verdade, por mais das vezes, é inconveniente, por isso não é contada.
Comentários
15 Comentários

15 comentários :

  1. Parabéns pelo texto e pela linha de pensamento!

    ResponderExcluir
  2. Muito bom!!! Parabéns!!! Thaysy

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vanessa, você não entendeu o que ele quis dizer. Jesus não podia ser um "espírito evoluído" por várias encarnações e o Filho de Deus. Pois o filhos não tem "começo de dias, nem fim de existência". Ele era o Verbo e estava com Deus desde o princípio, isto é, desde sempre.
      Não dá para conciliar. E como o Igor falou, relativa é a nossa verdade, a verdade pessoal, não a verdade em si. Deus é independente de nós, nós somos humanos e vemos Deus pelo nosso ponto de vista. Enfatizamos alguns pontos ou outros. Isso não é exatamente errado, pois não podemos conhece-lo completamente ainda. Mas Ele existe e é independente de nós e dos nossos quereres.

      Excluir
  3. adorei a linha de raciocionio. mas como eu ja pensei sobre isso, vou falar algumas coisas, é ate ousadia discutir com alguem que faz faculdade de filosofia. bem.. eu acho o seguinte, realmente só existe uma verdade, pq se nao existisse isso, entao n existiria coisa nenhuma, se tudo fosse verdade, tudo seria ao mesmo tempo mentira, pq uma coisa anula a outra, se existe varias verdades como vamos saber qual a verdadeira verdade? entao, seria mentira. Mas se pensassemos na possiblidade de haver varias verdades? N no sentido de ser a real essencia de algo, mas no sentido de p ex: eu tb sou catolica e acredito em jesus como os catolicos, mas os espiritas acreditam nele do jeito deles, os judeus tb etc. E é verdade que jesus foi um espirito evoluido, é verdade q ele tb foi um profeta, é verdade q ele é iluminado etc etc, é verdade q ele foi tudo isso e mais, é verdade q ele é o proprio deus homem. Entao, tudo isso é verdade. A verdade é que nem todos acreditam no q eu acredito ou no que algumas pessoas acreditam, por isso, p essa pessoa a verdade dela nao é a mesma minha verdade e p isso vai ter o que chamamos d relativismo. Nao posso dizer q essa pessoa é esquizofrenica p isso. A verdade pode ser "relativa", pelo motivo q ja falei, mas só ha uma verdade p coisas q nem todos conhecem.

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  5. Não é a pessoa que é esquizofrênica, é o raciocínio. É esquizofrênico porque enxerga realidades paralelas, coisas que existem e não existem ao mesmo tempo.

    Mas aí não é a verdade em si, mas a verdade das realidades das pessoas.

    A intenção não é ofender, mas acabar com o relativismo.

    ResponderExcluir
  6. qual caminho pra verdade vc sugere entao? qual seria adequado a todos seres humanos nao importasse nada alem do fato deles serem seres humanos? o texto e plausivel, mas qual e o remedio universal pra o tao temido relativismo?

    ResponderExcluir
  7. A volta para o pensamento racional e à honestidade intelectual. Que uma verdade e que a verdade existe, é evidente!

    ResponderExcluir
  8. Aplausos ao pensamento!

    "A humanidade, em geral, não dá nenhuma importância à verdade, sim ao bem-estar, a si mesmo"...
    Não dá importância nem à verdade, nem à Verdade. E vão criando para si o que lhes é mais conveniente, o que lhes dá a "felicidade". Mas, o que há de verdade nessa felicidade?!

    ResponderExcluir
  9. Ótimo texto, mas esse auto, dono do perfil, pediu pra ser lindo, hein?

    ResponderExcluir
  10. No cometário anterior, eu quis dizer, AUTOR! Tão lindo que prejudicou minha concentração na escrita. Ele, todo intelectual e filósofo, poderia me considerar fútil e alienada pelo comentário, por isso postei anônimo. Mas estou meramente tendo um compromisso com a verdade. rsrsr

    ResponderExcluir
  11. Eu sou o caminho a verdade e a vida! Eu não sou muitos caminhos, muitas verdades e muitas vidas. Sim alguém como os espíritas dizem que acreditam do jeito deles, porém esse jeito é falso e mentiroso. Assim como qualquer outro pensamento que não usa da honestidade e que não tem medo de dizer que as vezes a sua opinião estava errada. Para assim, mostrar e propagar a verdadeira verdade, claro sem relativismo e sem ser politicamente correto. Vejam e leiam as confissões de Santo Agostinho, que depois de ter buscado a verdade em tantos caminhos que ele achava que era correto, depois se deu conta que tudo que já tinha buscado e participado, percebeu que tudo não passava de mentira, fábulas, fantasia e falsidade. A verdade em todos os sentidos ainda é o melhor caminho.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você tem razão. E muitos cristãos e pessoas sinceras caem nessa história de relativismo e que devemos concordar com tudo nos outros. Não, não devemos. Jesus nunca foi relativista, sempre foi claro que existe um Bem e um Mal.

      Excluir
  12. Meu amigo, teu blog é muito bom. Eu já tinha pensado coisas parecidas sobre o relativismo. Uma coisa que pensei lendo teu texto, é que talvez muitas dessas pessoas pensem apenas até um nível, e depois deixam o resto para lá. Mas você tem razão que relativismo não tem lógica. É algo muito irracional.

    ResponderExcluir